Melhorias Específicas

Melhorias Específicas – 8 Pilares do TPM

As melhorias específicas são atividades orientadas que maximizam a eficiência global do equipamento, através da eliminação sistêmica de perdas. Melhorias específicas são necessárias devido à baixa eficiência de ações de melhoria contínua. Melhoras do dia a dia podem não ocorrer de forma desejada, sendo muitas vezes negligenciada pelas pessoas por estarem muito ocupadas ou por ser de difícil solução, ou ainda não existir orçamento disponível para execução da melhora. Por isso o pilar de melhorias específicas administra este tipo de tarefa.

A melhoria individual é caracterizada por uma atribuição de recursos (equipes de projeto que incluem engenharia, manutenção, produção e pessoal técnico) e por um procedimento de trabalho cuidadosamente planejado e supervisionado. Para proporcionar um planejamento adequado dos trabalhos de melhorias específicas, a ferramenta de trabalho denominada ciclo “CAP Do”, deve ser utilizada.

Cada uma das letras do ciclo CAPDo é uma fase do desenvolvimento das atividades de melhoria. Na fase C, de checagem ou verificação, tem-se a escolha da melhoria a ser realizada no equipamento. Tal escolha varia de empresa para empresa, entretanto, uma boa estratégia para auxiliar na decisão é utilizar a informação de perdas do equipamento. Com a melhoria escolhida, é necessário definir a equipe de projeto para desenvolvê-la.

Ciclo CAPDo
Ciclo CAPDo

Cada uma das letras do ciclo CAPDo é uma fase do desenvolvimento das atividades de melhoria. Na fase C, de checagem ou verificação, tem-se a escolha da melhoria a ser realizada no equipamento. Tal escolha varia de empresa para empresa, entretanto, uma boa estratégia para auxiliar na decisão é utilizar a informação de perdas do equipamento. Com a melhoria escolhida, é necessário definir a equipe de projeto para desenvolvê-la.

O próximo passo é a letra A, que significa analisar o problema. Neste ponto é necessário utilizar-se de ferramentas para análise e estratificação do problema. Tais ferramentas incluem o FTA (failure tree analysis – análise da árvore das falhas), FMEA (failure mode and effect analysis – análise dos modos e efeitos das falhas), Know-Why (Conhecer-Porque), 7 ferramentas da qualidade e 5 W´s e 1 H (o que, quando, onde, quem, qual, como e quanto), entre outras.

Depois de analisado e estratificado o problema, encontrado sua causa raiz, deve-se passar para o passo P, de planejar. Nesta etapa é fundamental atribuir responsabilidades, tarefas e prazos.

Na última etapa, Do, deve-se executar o planejado anteriormente. Depois de executada a melhoria, deve-se realizar uma verificação da eficácia da melhoria. Uma vez constatada a melhoria, é importante registrar, através de fotos e informações, a situação inicial e final, os resultados alcançados e o ganho decorrente da melhoria. Este registro tem a intenção de documentar e demonstrar as atividades de melhorias já realizadas pelas equipes.

O ciclo CAPDo é uma variação do PDCA. Apenas utiliza-se o início do processo na letra C, uma vez que se inicia através da análise (check) de dados de perdas, para promover a melhoria do equipamento.

Melhorias específicas – ajuda a entender as maiores perdas de cada área
ou equipamento e a implantar melhorias para reduzí-las.


E-BOOK TPM SIMPLIFICADO (12)

TÚLIO MARTINS