David Costa

Bate Papo com David Costa

É um Bate Papo com Foco em Lean Manufacturing, onde especialistas são convidados à expor suas opiniões, agregar conhecimento e contribuir com suas experiências através de perguntas e reflexões elaboradas por Túlio Martins.

Contatos / Redes Sociais
Linkedin: linkedin.com/in/daviddeoliveiracosta

Hoje convidamos David Costa para um bate papo descontraído para falarmos sobre suas experiências com o Lean. David Costa é Engenheiro industrial, com MBA em Gestão Ambiental, com 20 anos de mercado. Especialista em melhoria contínua com ênfase em Six Sigma. Instrutor de cursos de formação Green Belt e Black Belt. Atuação em grandes corporações globais como: Philips, Rexam – Ball, Grace e Henkel. Sua área de atuação é como Engenheiro de vendas e suporte técnico em indústria química.

David,Como foi seu processo de escolha pela profissão e área de atuação? Lean foi sua primeira opção?

Sim. Ainda estagiário, na Philips, fui selecionado para fazer o treinamento Green Belt. E, fiquei fascinado com essa área do conhecimento. E, tenho me aprimorado a cada dia.

Da indústria de antes e os modelos atuais o que mais mudou que você pôde acompanhar com a sua experiência? E qual a visão de mudança que você tinha de como seria hoje e como está? Por exemplo tem conceitos atuais de indústria 4.0 hoje, que naquela época já se pensava nisso?

Uma mudança brusca no modelo mental da alta direção é a necessidade de ter um diferencial competitivo, como ação de sobrevivência do negócio. O alinhamento de ações que enfatizem à estratégia tem sido bastante notório, nos últimos anos.

Por mais hoje que falamos de novos conceitos como Lean, metodologia ágeis, 5’S sabemos que estes conceitos sempre existiram desde o fordismo, taylorismo e são conceitos mais aperfeiçoados do que realmente novos. Sobre estes conceitos e práticas o que pode nos contar?

Nós, brasileiros, temos uma grande necessidade de atribuir um nome a um conceito. Não aprofundam os o necessário na filosofia proposta em cada “metodologia”. Precisamos entender como aproveitar ao máximo cada conceito. É fundamental a aplicabilidade desses conceitos e gerar resultados que justifique o investimento.

As novas tecnologias e recursos atuais contribuíram para evolução da gestão do chão de fábrica? Tem algum exemplo prático que pode nos contar?

Gastão é tomada de decisão. E, isso para ser bem executada, só é possível, quando se tem uma base de dados confiável. A todo momento, vemos a necessidade da informação como diferencial competitivo.

E os profissionais atuais tem mais /melhores oportunidades com os novos recursos? Ou têm mais concorrência?

Não percebo isso. Acredito que temos uma oportunidade de somar conhecimentos e cada um se complementa, nesse contexto.

A partir deste novo cenário que estamos vivendo, quais serão as ferramentas da Qualidade que passarão a ser procuradas com mais ênfase?

Acredito que a estrutura racional não sofra muita alteração. Agora, a agilidade e assertividade passarão a exercer um papel fundamental no ambiente corporativo.

Por que o pensamento Lean é importante para empresas neste novo cenário?

Sem dúvidas, pelo fato de focar em desperdícios. E, eliminá-los.

Descreva um problema interessante e como você o solucionou.

Já tive que enfrentar problemas onde o cliente argumentava que “o material do concorrente funciona e o seu não!” E, por meio análise de processos e aplicação de técnicas de estatística, DMAIC e do Six Sigma, o DoE (experimentação), foi possível reverter a situação.

Com suas palavras, descreva o que é Lean Manufacturing e quais são os princípios Lean.

Lean é se utilizar do bom senso e da simplicidade ao enxergar oportunidades ou, problemas.

Gostaria que deixasse uma mensagem para os profissionais do mundo da excelência operacional…

Reconheça a verdadeira essência de pessoas que deixaram grandes ensinamentos e, que hoje podemos desfrutar. Construa a sua parte na história e nunca pare de estudar!

David Costa