SMED

SMED (Single Minute Exchange of Die)

Primeiramente a diminuição dos tempos de preparação dos equipamentos, conhecida como SMED (Single Minute Exchange of Die) é um importante passo para o aumento da eficiência produtiva e consequentemente no ganho da produtividade. Assim podem-se destacar como principais benefícios do uso desta ferramenta: produção de diferentes tipos de produtos em uma mesma jornada de trabalho; redução dos tempos totais de fabricação, do tamanho dos lotes processados; custos de fabricação; a diminuição dos tempos de entregas dos pedidos, e um atendimento mais rápido da demanda de mercado.

Sendo assim, o sistema Toyota de produção (STP), criado por Eiji Toyoda e Taiichi Ohno na década de 1950, com objetivo de eliminar desperdícios, com isto foram criadas técnicas como: a produção em pequenos lotes, redução de estoques, alto foco na qualidade, manutenção preventiva, entre outras. Assim a produção em pequenos lotes e a redução de estoques incentivam enormemente ações no sentido da redução do tempo de setup, um capacitador da produção puxada, de acordo com Godinho Filho e Fernandes (2004).

 As técnicas aplicadas na Toyota foram todas desenvol­vidas internamente, com exceção do SMED, sistema para redução de tempo de setup de máquinas, elaborado em colaboração com o consultor Shigeo Shingo (WOMACK; JONES, 1998). Todavia os estudos sistemáticos realizados por Shingo foram descritos em seu livro SMED – revolution in manufacturing – que apresenta uma breve estrutura conceitual, descrevendo técnicas que auxiliam na metodologia e oferece diversos exemplos de aplicações do SMED em empresas.

SMED (Single Minute Exchange of Die)
SMED (Single Minute Exchange of Die)

SMED (Single Minute Exchange of Die) segundo SHINGO

Contudo segundo SHINGO (1996) o Sistema Toyota de Produção (STP) “é um sistema que visa a eliminação total de perdas”. Ainda segundo SHINGO (1989), um dos princípios básicos do STP é a redução dos tempos de troca de ferramentas e matrizes, o que possibilita para a empresa, resposta rápida diante das mudanças do mercado.

Tendo esse objetivo em vista, SHINGO (1996), propôs o sistema SMED (Single Minute Exchange of Die) ou TRF (Troca Rápida de Ferramenta) por volta dos anos 50. Trata-se de uma ferramenta que possibilita diminuir os tempos de setup das máquinas, possibilitando a fabricação em pequenos lotes, aumentando assim a capacidade das máquinas e ajudando a aperfeiçoar a produção como um todo.

Entende-se por tempo de setup a saída da última peça boa da produção do lote anterior, até a primeira peça boa do lote seguinte, ou seja, é o tempo de preparação da máquina. Quando esse tempo é elevado, a empresa tende a produzir lotes maiores de peças, pois, assim, o tempo de setup por unidade é reduzido. Dessa forma a redução do tempo de setup permite a empresa produzir lotes menores de peças com o mesmo tempo de setup por unidade. Com isso, a empresa diminui os níveis de estoque e consegue aumentar sua flexibilidade de produção.

O nome da ferramenta traduz a ideia de Shingo que era reduzir o tempo de setup para um tempo com no máximo um dígito, ou seja, abaixo de dez minutos.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

OHNO, T. O sistema Toyota de Produção. Além da produção em larga escala. Trad. Cristina Schumacher, Porto Alegre. BOOKMAN, 1997.

SHINGO, S. A Revolution in Manufacturing: The SMED System. Productivity Press. Cambridge, MA, 1985.  

SHINGO, S. O Sistema Toyota de Produção – do ponto de vista da engenharia de produção. 2ª ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

SHINGO, S. Sistema de troca rápida de ferramenta: uma revolução nos sistemas produtivos. Porto Alegre: Bookman, 2000

TÚLIO MARTINS

2 comentários em “SMED (Single Minute Exchange of Die)”

Os comentários estão encerrado.

WeCreativez WhatsApp Support
Estou disponível para lhe atender, deixe sua pergunta...
👋 Olá, sou o Túlio, como posso ajudar?

40%

Off

Aprenda Melhoria Contínua de forma Simplificada e Objetiva
Você não pode perder essa oportunidade!