Diagrama Ishikawa - Causa e Efeito

Diagrama de Ishikawa – Causa e Efeito

Assim também conhecido como Diagrama Espinha de Peixe (por seu formato) e Diagrama de Ishikawa (Kaoru Ishikawa – quem o criou); a princípio foi desenvolvido para representar a relação entre o efeito e todas as possíveis “causas” que podem estar contribuindo para este efeito.

Dessa forma, o efeito ou problema é colocado no lado direito do gráfico e as causas são agrupadas segundo categorias lógicas e listadas à esquerda.

Portanto o diagrama de causa-efeito serve para a análise de causas potenciais de um determinado problema. Assim, os fatores 4Ms são originários do diagrama de ISHIKAWA (também conhecido como diagrama espinha de peixe):

Espinha de peixe
Espinha de peixe
  1. MÁQUINA OU MACHINE
  2. MÃODEOBRA OU MAN
  3. MÉTODO OU METHOD
  4. MATERIAL
  5. MEDIDA OU MEASURE
  6. MEIO AMBIENTE OU ENVIRONMENT

Os passes típicos para construção de um diagrama de ishikawa são:

  1. Identificar as causas potenciais através de BRAINSTORMING;
  2. Numerar as ideias para identificar causas principais;
  3. Classificar sub-causas;
  4. Criar uma estrutura de espinha de peixe;
  5. Desenvolver por completo o diagrama espinha de peixe.

Todavia, produtos defeituosos ou não-defeituosos são produzidos juntos devido à VARIAÇÃO de processos. Variações nos materiais, nas condições dos equipamentos, no método de trabalho, na mão-de-obra e na inspeção são as causas dos defeitos, em outras palavras, são os fatores que contribuem para a conformidade ou não-conformidade às especificações.

Pontos chaves:

  • Fazer a análise no local de origem da causa (5G);
  • Conhecer o modo de falha para identificar o real impacto de cada M;
  • Esta metodologia deve ser sempre utilizada através do brainstorming para uma boa eficácia.
Diagrama de Ishikawa - Causa e Efeito
Diagrama de Ishikawa – Causa e Efeito

Principais causas para utilizar o diagrama de Causa e Efeito, sendo eles:

  • Quando necessitar identificar todos as causas possíveis de um problema;
  • Obter uma melhor visualização da relação entre a causa e efeito delas
    decorrentes;
  • Classificar as causas fatorando em sub-causas, sobre um efeito ou
    resultado;
  • Para saber quais as causas que estão provocando este problema;
  • Identificar com clareza a relação entre os efeito, e suas prioridades;
  • Em uma análise dos defeitos: perdas, falhas, falhas de projeto, desajuste do produto, etc., com o objetivo de identificá-los e melhorá-los.

Portanto, baixe agora seu diagrama neste link.

TÚLIO MARTINS