SEITON: Organização

O 2º S dos 5S´s – Senso de ordenação – Seiton

Decerto, o senso de ordenação, facilita o desenvolvimento do primeiro senso, ao diminuir o tempo de busca dos objetos. Contudo implica “dispor os recursos de forma sistemática e estabelecer um excelente sistema de comunicação visual para o rápido acesso a eles”. Este senso consiste em dar lugar a cada item e colocar cada item em seu lugar, padronizando as nomenclaturas e evitando, assim, mais de uma interpretação para o mesmo objeto.

Este senso, denominado princípio de arrumação, “significa colocar as coisas nos lugares certos ou dispostas de forma correta para que possam ser usadas prontamente. Assim é uma forma de acabar com a procura de objetos”. Enfim, enfatiza o gerenciamento funcional e permite que se encontre o que se precisa quando se quer. Principalmente,busca formular regras claras que governem a estratificação, permitindo um layout flexível que possa ser alterado, de maneira a impedir a formação de labirintos e aumentar a eficiência.

Seiton
Seiton

Sentido amplo adotado: “Dispor os recursos de forma sistemática e estabelecer um excelente sistema de comunicação visual para rápido acesso a eles” (Silva, 1996).

Logo depois de ter sido liberado espaço na área de trabalho com a aplicação do seiri, as coisas que sobraram e que efetivamente necessitam continuar na área de trabalho, devem ser organizadas de maneira lógica e coerente; portanto essa organização recebe o nome de seiton.

Contudo, deve ser buscada com esse procedimento a simplificação, que é seu conceito-chave. Estando os materiais localizados facilmente para que se possa perceber se estes se encontram fora de seus devidos lugares, constatando isso de maneira rápida, simples e imediata. Identificar o que se está guardando para que se possa encontrar com facilidade (Ballestero-Alvarez, 2001).

Procedimentos que devem ser utilizados na prática deste senso:

  • Definir arranjo físico da área de trabalho;
  • Padronizar nomes;
  • Guardar objetos semelhantes no mesmo lugar;
  • Usar rótulo e cores vivas para identificação;
  • Buscar comprometimento de todos na manutenção da ordem.

O ‘senso de ordenação’ pode ser definido como “um otimizador da área de trabalho”, pois consiste em definir critérios e locais apropriados para estocagem, depósitos de ferramentas e materiais, armazenamento e fluxo de informações, ou seja, “fazer com que as coisas necessárias sejam utilizadas com rapidez e segurança, a qualquer momento”.

A sistematização do ambiente de trabalho propicia o gerenciamento eficaz, através da otimização dos insumos, força de trabalho e meios de produção. Com isso, os benefícios gerados são inúmeros, pois em ambiente ordenado, o trabalho é mais objetivo, aumenta-se a produtividade, reduz-se custos, acidentes de trabalho, economiza-se tempo, entre outros benefícios. Este segundo senso busca, então, o ótimo do sistema.

Já para o SEITON, senso de ordenação, 2 S, foi elaborado o seguinte questionário:

Seiton - Senso de ordenação
Seiton – Senso de ordenação
  1. A área de trabalho está demarcada e/ou identificada?
  2. Existem tubulações/fios expostos impedindo a passagem ou possibilitando acidente? As tubulações existentes estão identificadas por cores?
  3. As informações usadas na execução da tarefa estão atualizadas, disponíveis e claras para realização do trabalho?
  4. É fácil a visualização de placas e avisos de segurança identificando corretamente as áreas de risco?
  5. Existe material sucateado na área?
  6. Objetos de uso pessoal são guardados em local especificado?
  7. O espaço de circulação permite o tráfego de pessoas e equipamentos sem perigo de incidentes?
  8. Os equipamentos estão identificados de forma clara e de acordo com o uso?
  9. Os documentos existentes na área são de fato necessários e estão atualizados e disponíveis para consulta (normas, procedimentos, APT’s)?
  10. Existe local definido para cada ferramenta, sendo estas identificadas e controladas?
  11. Painéis elétricos, quadros, extintores, equipamentos de emergência, quadros de aviso estão identificados, desobstruídos, conservados e limpos por dentro?
  12. Existe local adequado para o armazenamento de EPI’s?
  13. Existe equipamento defeituoso aguardando reparo (móveis, proteções, lâmpada queimada, vazamentos, entupimentos, iluminação adequada)?
  14. Existem locais definidos e identificados para cada tipo de objeto nas prateleiras, armários, mesas, com pontos de reposição mínimo/máximo?
  15. Existe local identificado para guardar procedimentos?
  16. O conteúdo das pastas dos arquivos coincide com a identificação dela?
  17. O sistema permite identificar a falta de um material/objeto e detectar com quem está?
  18. Os documentos estão ordenados por assunto, aplicação, data (incluindo os armazenados em meio eletrônico)?
  19. Existe identificação visível dos extintores e saídas de emergência?
TÚLIO MARTINS