WCM – World Class Manufacturing

Antes de mais nada o WCM – World Class Manufacturing é um conjunto de conceitos, de princípios e de técnicas para a gestão dos processos operativos de uma empresa. Assim, o termo World Class Manufacturing captura de maneira eficaz a essência das mudanças fundamentais que aconteceram nas indústrias mundiais no ocidente a partir dos anos 1970 e que tocaram em um conjunto muito amplo de elementos que caracterizavam a produção: o management da qualidade, as relações industriais, a formação, a equipe de suporte, o sourcing, as relações com os fornecedores e os clientes, o design de produto, a organização dos estabelecimentos, o scheduling, a manutenção, a linha de produção, o sistema de contabilidade, a automação e outros.

As origens do WCM

Do mesmo modo o WCM baseia-se nos modelos de atividades criados pela indústria manufatureira japonesa depois da Segunda Guerra Mundial e nos resultados obtidos pela abordagem japonesa para a organização da produção. Além disso, ele adapta as ideias usadas pelos japoneses nos setores automobilístico e eletrônico para alcançar importantes vantagens competitivas.

Ao passo que o WCM foi apresentado pela primeira vez como uma abordagem orgânica de Richard J. Schonberger em seu livro de 1982, que mostra uma série de empresas americanas que adotaram e implementaram a abordagem japonesa para a produção, adaptando-a ao contexto ocidental. Partindo do texto de Schonberger (1982), entendemos que essa adaptação não ocorreu por pura imitação, mas que a adoção do modo japonês de produzir no ocidente ajudou a divulgar uma abordagem muito diferente.

Entretanto, a primeira diferença entre o WCM e os modelos de produção antes descritos é sobre o campo de aplicação do WCM. Se, de fato, o TPS e o TPM nasceram e se desenvolveram dentro dos sistemas de produção, o WCM nasceu para aplicar os métodos JIT, QC e TPM em todos os processos e em todas as business units, de maneira a aumentar os desempenhos das empresas manufatureiras ao nível de best performers mundiais. Assim como, a grande novidade introduzida pelo WCM baseia-se na implementação dos princípios do TPS em todos os processos da empresa, inclusive nos de suporte.

Premissas

Dessa forma, o World Class Manufacturing tem, como objetivo principal, perseguir uma atitude mental ou uma filosofia correspondente ao seu alcance. Ambas são bem resumidas no dito latino que caracterizava os Jogos Olímpicos: citius, altius, fortius, que, traduzido em língua inglesa, significa faster, higher, stronger e, na língua portuguesa, mais rápido, mais alto, mais forte. Ao contrário do que acontecia no mais recente passado nas indústrias manufatureiras, onde não se conheciam os fatores de melhoramento do manufacturing, o management atuava para alcançar a solução dos problemas que se apresentavam com prioridade, ano a ano. O WCM tende ao melhoramento contínuo e rápido da qualidade, dos custos, do tempo de produção, do serviço ao cliente e acredita que o alcance desses objetivos pode acontecer mais na harmonia entre eles do que na oposição.

O melhoramento no WCM segue um percurso muito bem definido que se baseia na remoção de todos os obstáculos à produção, para alcançar a sua máxima simplificação. Muitas são as indicações de quais são os obstáculos à produção a serem eliminados e quais são os percursos que devem ser seguidos para a simplificação, como, por exemplo: ter poucos fornecedores, focar sua atenção nos equipamentos; ter entregas mais frequentes; ter equipamentos menores; diminuir as distâncias; diminuir as atividades de reporting; diminuir os controles; diminuir os depósitos intermediários; reduzir as classificações do trabalho.

Princípios do WCM

É difícil hoje encontrar gerentes que não saibam que uma de suas tarefas fundamentais é desenvolver a participação de seus funcionários e colaboradores. Obviamente os conceitos de qualidade de vida no trabalho, de equipe de colaboradores, de círculos da qualidade, assim como as diversas teorias existentes sobre a importância da participação de todos na gestão da empresa são relevantes, mas para uma empresa que quer se tornar World Class, a mera participação e a comunicação não são suficientes. Muitas vezes, essas formas de envolvimento param nos programas recreativos, nos programas e serviços para as famílias, etc.

Visto que deve existir em uma empresa WCM é o envolvimento, minuto a minuto, dos operadores, na solução dos problemas que devem enfrentar. Só que o trabalho de todos na empresa deve mudar. Muitos trabalhos de linha são trabalhos diretos (operador ou montador).Por isso, para o WCM a reorganização do trabalho de linha significa reconsiderar uma série de tarefas indiretas como a manutenção preventiva, atividade que sempre foi executada pelos gerentes e especialistas de suporte. Mas, mais importante, os novos trabalhos de linha devem incluir também as atividades de data recording, data analysis e de problem solving.

A coleta dos dados é a primeira coisa a ser feita…

Portanto, o melhoramento dos desempenhos depende da coleta dos tipos de dados certos e no momento certo. Dessa forma, o WCM prevê que os operadores coletem os dados cada vez que se verificar um problema ou uma parada na linha que bloqueie as atividades de trabalho. A análise dos dados disponíveis deve acontecer todos os dias e deve basear-se não somente na análise quantitativa do número e dos tipos de erros/problemas que se verificaram, mas também nos motivos da origem.

Por isso, nesse modelo, o que ocasiona o início da coleta dos dados é a ocorrência de eventos negativos como uma parada da máquina, um erro, etc. O objetivo final dessa atividade é a análise e a eliminação das causas que levaram ao evento negativo, bem como a disponibilidade de um instrumento de confiança de previsão dos possíveis eventos negativos futuros.

Estrutura dos pilares técnicos e gerenciais do WCM

Em síntese, uma importante evolução do WCM é uma sistematização rigorosa dos pilares técnicos, que alcançam o número de 10, agregando aos pilares clássicos de: AM (Autonomous Maintenance) /WO (Workplace Organization), PM (Preventive Maintenance), EEM (Early Equipment Management), QC (Quality Control) e Logistics, os pilares de derivação TPM, de Safety (Segurança), Environment (Ambiente) e aquele originado pela nova reflexão sobre o melhoramento contínuo focado FI (Focused Improvement).

AM (Autonomous Maintenance) /WO (Workplace Organization), PM (Preventive Maintenance), EEM (Early Equipment Management), QC (Quality Control) e Logistics, os pilares de derivação TPM, de Safety (Segurança), Environment (Ambiente) e aquele originado pela nova reflexão sobre o melhoramento contínuo focado FI (Focused Improvement).

Assim também o envolvimento das pessoas (People Development) adquiriu a característica de pilar técnico. O método Cost Deployment, nova linha guia do WCM, também se transformou em um pilar técnico e constitui a referência para as decisões de prioridade das intervenções de melhoramento contínuo e de análise custo/benefício dos projetos de todos os outros. Na figura 1, podemos ver a estrutura dos pilares do WCM.

Estrutura dos pilares técnicos e gerenciais do WCM
Estrutura dos pilares técnicos e gerenciais do WCM

Os critérios…

Os critérios gerenciais foram posteriormente detalhados na Associação WCM em número de 10, e se unem aos pilares técnicos: 11. Compromisso da Direção; 12. Desenvolvimento do sistema de objetivos; 13. Mapa do caminho em direção para o WCM; 14. Alocação da pessoa mais qualificada na área ou máquina-modelo, 15. Compromisso da organização; 16. Competências da organização em direção a melhoramentos; 17. Tempo and Budget; 18. Nível de detalhe; 19. Nível de expansão, 20. Motivação dos operadores.

Esses princípios de gestão têm a finalidade de pôr em ação os comportamentos de dedicação e responsabilidade, para aplicar técnicas e métodos de gestão dos objetivos, planos e projetos, para gerenciar, por meio do acúmulo e difusão, o novo conhecimento criado por meio da solução dos problemas, para que a organização assuma os principais traços culturais do melhoramento contínuo com particular atenção ao detalhe.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

PLEXUS, Interaction; AUTOMÓVEIS S/A, Fiat. Guia de Consulta – Metodologias WCM FIAT: CPI – Percurso Formativo – Formação de CPI. 02. ed. Betim – MG, Brasil: [s.n.], 2010. 160 p.

AUTOMÓVEIS S/A, Fiat. Pilares do World Class Manufacturing (WCM / FAPS – Fiat Auto Production System).. 01. ed. Betim – MG, Brasil: [s.n.], 2010. 315 p.

Acesse este artigo e outros clicando aqui.

TÚLIO MARTINS

3 comentários em “WCM – World Class Manufacturing”

Os comentários estão encerrado.

WeCreativez WhatsApp Support
Estou disponível para lhe atender, deixe sua pergunta...
👋 Olá, sou o Túlio, como posso ajudar?

30%

Off

Aprenda sobre PDCA e Ferramentas WCM de uma forma simples e objetiva!
Você não pode perder essa oportunidade!