Entendendo o OEE

OEE – Você irá entender como funciona este indicador

Para calcular o OEE é necessário entender como o equipamento utiliza seu tempo e capacidade produtiva.

Entendendo o OEE
Uso do tempo no equipamento

Assim, podemos ver na imagem acima, como o tempo é utilizado pelo equipamento. Portanto, compreender estes tempos é fundamental para a definição do OEE.

Tempo Total

24 horas por dia, 365 dias por anos. É o tempo cheio.

OEE – Entendendo a Disponibilidade

Horário Não Alocado

É o tempo em que a fábrica não está funcionando.
Exemplos: o terceiro turno para uma empresa que só trabalha 2 turnos. Os finais de semana para as empresas que não trabalham nos finais de semana. Ou seja, é o horário quando a empresa está com as portas fechadas.

Tempo Operacional

É o Tempo Total menos o Horário Não Alocado.  Por isso, este é o tempo disponível máximo que a produção poderia contar para utilizar o equipamento.

Horário Não Planejado

É o tempo em que a equipe de produção não pode utilizar o equipamento por razões alheias às suas responsabilidades.  Exemplo: Equipamento parado por não haver encomendas, ou por haver sobre-capacidade, ou por estar sendo utilizado pelo setor de engenharia para fazer um lote de testes.

Tempo Programado

É o Tempo Operacional menos o Tempo Não Planejado. Ou seja, é o tempo que a máquina está disponível para a equipe de produção produzir o que tem que ser produzido. Portanto, a equipe de produção é responsável por este tempo. Este é o tempo base utilizado para cálculo do OEE.

Tempo de Equipamento Parado

É quando não está saindo peças do equipamento devido algum problema com o equipamento, ou devido ociosidade ou devido preparação/setup do equipamento.  Exemplos: Parado porque motor queimou. Parado porque está aguardando reabastecimento. Parado para preparação do equipamento devido troca de produto.

Tempo Produzindo

É quando está tendo saídas de peça do equipamento, independentemente de sua qualidade, ou seja, peça boa ou ruim.

Velocidade Padrão de Produção

A velocidade padrão de produção de um produto é a máxima velocidade com que o produto pode ser produzido no equipamento, e é definido pelo departamento de engenharia.

Portanto quando o equipamento é projetado especificamente para fabricar um produto ou uma família de produtos, a velocidade padrão a ser considerada é a velocidade do equipamento informada pelo fornecedor do equipamento.

Tempo Ciclo Padrão

É o tempo de um ciclo de máquina quando a máquina está rodando na Velocidade Padrão do Produto.

Dessa maneira, no caso do equipamento que é projetado especialmente para fabricar um produto, o tempo ciclo padrão a ser utilizado é o tempo ciclo de operação do equipamento.

OEE – Entendendo a Performance

Quantidade Produção Teórica

É a quantidade que seria produzida se a máquina estivesse operando na velocidade padrão do produto.

Exemplo 1
A máquina trabalhou durante 5 horas produzindo o produto ABC, que tem tempo ciclo padrão de 20 segundos. Assim, qual é a produção teórica?
Tempo ciclo de 20 segundos = 3 peças/minuto
Produção Teórica = 5 horas x 60 minutos x 3 peças/minuto = 900 peças

Exemplo 2
A máquina trabalhou durante 6 horas, sendo que 4 horas produzindo o produto ABC que possui tempo ciclo de 20 segundos e 2 horas produzindo o produto XYZ, que possui tempo ciclo de 10 segundos. Então, qual a produção teórica nestas 6 horas?
Produção Teórica – ABC = 4 horas x 60 minutos x 3 pçs/min = 720 peças
Produção Teórica – XYZ = 2 horas x 60 minutos x 6 pçs/min = 720 peças
Produção Teórica Total = 1440 peças

Quantidade Produção Total

É a quantidade produzida real, independentemente de sua qualidade, ou seja, os itens bons mais os itens ruins.

Tempo de Máquina Parada devido Pequenas Parada

É quando não está saindo peça da máquina devido interrupções de produção de pequena duração. De fato, como estas paradas são muito pequenas normalmente elas não são apontadas e seu tempo é considerado como tempo produzindo.

Perdas por Velocidade Reduzida

É a perda decorrente da operação da máquina em velocidade inferior à velocidade padrão para o produto em produção.

Exemplo 3:
O tempo ciclo padrão de um item é de 20 segundos e a máquina está trabalhando com tempo ciclo de 30 segundos. Em um minuto a máquina executa 2 ciclos quando poderia executar 3 ciclos.  Ou seja, a cada 1 minuto, 20 segundos são perdidos por estar trabalhando em velocidade reduzida.

Exemplo 4:
Usando como exemplo o item acima, após 1 hora trabalhando com o ciclo de 30 segundos, teremos:

Quantidade produzida = 3600 s/ 30 s = 120 itens produzidos.
Quantidade produção teórica = 3600 s / 20 = 180 itens.
Perdas por trabalhar em velocidade reduzida = 180 – 120 = 60 itens.

Em síntese, o que equivale a 20 minutos de produção perdida, se considerar que para produzir 120 itens no tempo padrão seriam necessários apenas 40 minutos.

Entendendo a Qualidade

Peças boas

São as peças que encontraram as especificações necessárias na primeira vez. Aquela peça que não encontrou a especificação na primeira vez, mas que se for retrabalhada pode ser considerada boa, esta peça também deve ser considerada como ruim em termos de OEE.
Desse modo, o mesmo conceito é aplicado para aquelas peças que não atenderam as especificações iniciais e serão vendidos como um produto de segunda linha. Em suma, para o OEE estas peças são consideradas ruins.

Peças ruins

São as peças que não encontraram as especificações na primeira vez.
Aqui podemos dividir as peças ruins em dois grandes grupos: peças ruins geradas durante preparação do equipamento e peças ruins geradas durante a produção, visto que as causas que levam à estas perdas podem ser bem diferentes.


Créditos total ao canal www.oee.com.br

Acompanhe a série sobre o OEE no blog, clicando aqui!

Planilha conceitual de como calcular o OEE

Acesse a página “Baixar planilha OEE“.

12 PASSOS OEE (10)


TÚLIO MARTINS

1 comentário em “OEE – Você irá entender como funciona este indicador”

Os comentários estão encerrado.