Bate Papo com Daniel Pezi

Bate Papo com Daniel Pezi

É um Bate Papo com Foco em Lean Manufacturing, onde especialistas são convidados à expor suas opiniões, agregar conhecimento e contribuir com suas experiências através de perguntas e reflexões elaboradas por Túlio Martins.

Hoje convidamos Daniel Pezi para um bate papo descontraído para falarmos sobre suas experiências com o Lean. Daniel tem atuação em melhoria continua há 16 anos e desde 2006 especificamente com Lean Manufacturing direta e indiretamente em todas as funções já exercidas ao longo da carreira.

Especialista Lean Thinking e Lean Seis Sigma Black Belt com experiência em transformação cultural com foco na filosofia Lean Thinking, coordenação de programas de melhoria contínua, realização de eventos Kaizen, gerenciamento de programas TPM e 5S, condução de projetos Six Sigma, realização de treinamentos Lean/5S/TPM/TQC, e formação de LSS White e Yellow Belts. Gestão do sistema de detecção e análise de desvios da produção (coordenação de 15 pessoas), atuação na investigação das causas e definição das tratativas de curto e longo prazo, definição de sistema para detecção e análise de conformidade de processos, condução de VSM em processos produtivos e administrativos, análise e gestão da produção (coordenação de 120 pessoas), avaliação de desempenho e feedback, elaboração KPIs e gestão da rotina.

Contatos / Redes Sociais

https://www.linkedin.com/in/danielpezi/
https://www.instagram.com/dpzlean/

Daniel,Como foi seu processo de escolha pela profissão e área de atuação? Lean foi sua primeira opção?

Diretamente não, iniciei na Engenharia de Produção e alguns anos depois o Lean surgiu em minha carreira.

Da indústria de antes e os modelos atuais o que mais mudou que você pôde acompanhar com a sua experiência? E qual a visão de mudança que você tinha de como seria hoje e como está? Por exemplo tem conceitos atuais de indústria 4.0 hoje, que naquela época já se pensava nisso?

Houve um enfraquecimento dos pilares devido customização excessiva dos conceitos, hoje temos mais profissionais na área, porém com menos conhecimento somado do que existia no passado. Grande partes da dita indústria 4.0 já existem a pelo menos duas décadas, o que evoluiu foram os meios de comunicação que possibilitaram usar melhor as informações que antes restringiam-se a um computador ou quadro de indicadores.

Por mais hoje que falamos de novos conceitos como Lean, metodologia ágeis, 5’S sabemos que estes conceitos sempre existiram desde o fordismo, taylorismo e são conceitos mais aperfeiçoados do que realmente novos. Sobre estes conceitos e práticas o que pode nos contar?

Em grande parte, vejo apenas novas embalagens em produtos já consagrados, as ditas novidades na verdade são derivadas ou partes dos modelos já anteriormente utilizados de forma mais sistêmica. Essa estratificação dos conceitos se faz necessária para facilitar o entendimento e por isso possui muitos adeptos nas atuais gerações visto os déficits de formação. Mas nada de novo, apenas diluíram o xarope.

As novas tecnologias e recursos atuais contribuíram para evolução da gestão do chão de fábrica? Tem algum exemplo prático que pode nos contar?

Acredito que no geral não, fazem o contrário pois cada vez mais vemos os gestores indo menos ao genba visto acreditarem que os diversos relatórios e dashboards eletrônicos que recebem diariamente os isenta de tal prática. Para indústria de alto volume vejo vantagem nas novas tecnologias pois tornam tangíveis os fatores que devido alta velocidade passam despercebidos.

E os profissionais atuais tem mais /melhores oportunidades com os novos recursos? Ou têm mais concorrência?

Mais concorrência com certeza, pois fazendo um simples curso de ferramenta utilizada o profissional já está apto a atuar naquele cenário.

A partir deste novo cenário que estamos vivendo, quais serão as ferramentas da Qualidade que passarão a ser procuradas com mais ênfase?

Não vejo impacto neste ponto, acredito que o atual cenário valoriza disponibilidade e a qualidade acaba ficando em segundo plano. E mesmo com o retorno das atividades cotidianas ainda deve demorar um tempo para a qualidade voltar ao primeiro plano.

Por que o pensamento Lean é importante para empresas neste novo cenário?

O Pensamento Enxuto é importante para as empresas em qualquer momento, mas neste momento este se torna mais ainda pois ao ter-se um modelo enxuto temos a capacidade de manter a lucratividade mesmo em períodos de baixa demanda.

Descreva um problema interessante e como você o solucionou.

Tínhamos um atraso em um fluxo documental devido a confecção de um documento no final do processo, para resolver o esse atraso fizemos um trabalho para eliminar a necessidade deste documento, recuperando assim um tempo de 2 dias no processo.

Com suas palavras, descreva o que é Lean Manufacturing e quais são os princípios Lean.

Lean Manufacturing é a vertente do Lean Thinking aplicada as manufaturas, assim como o Lean Thinking também prega pela contínua eliminação de desperdícios de modo a reduzir o lead time ganhando assim em produtividade.

Gostaria que deixasse uma mensagem para os profissionais do mundo da excelência operacional…

Os profissionais de EXOP precisam começar a se prepararem hoje para a Sociedade 5.0, o uso consciente de recursos será não só mandatório, como questão de sobrevivência no futuro.

Daniel Pezi